Biografia

Fernanda Brito nasceu a 22 de Junho de 1977 e com ela nasceu o sonho de trabalhar no meio artístico.

O seu primeiro contacto com o mundo das artes deu-se com apenas 6 anos; altura em que iniciou a sua formação na área da dança, a sua primeira grande paixão! Do gosto por esta forma de arte, resultou o despoletar de uma intensa vontade de conhecer mais sobre o universo circundante do meio artístico, que tanto fascina Fernanda Brito.

Fernanda iniciou a sua formação em dança no grupo de Ana Braga e mais tarde no Dança & Dança de Fernanda Annes, mas rapidamente se apercebeu que o seu lugar era na Escola de Dança do Conservatório Nacional.

Dança Clássica, Dança Moderna, Danças Tradicionais e Dança Criativa, foram apenas algumas das disciplinas que aprendeu, mas por se tratar de uma escola direccionada para as artes (a única capacitada para formar profissionais), o “Conservatório” tinha (e tem) outras disciplinas também elas ligadas à formação artística, que em tanto contribuíram para a formação profissional de Fernanda, tais como a: Música (com componente de instrumento e canto) e a Expressão Dramática. Esta última revelava assim, uma nova e grande descoberta na vida de Fernanda, a paixão pela representação. POr isso, em paralelo com o Conservatório, Fernanda decidia então dedicar 3 anos da sua vida a um curso intensivo de Arte Multimédia, onde juntamente com Sofia Alves, aprendeu a fundo várias técnicas de representação mas também outras vertentes da área artística, como canto, dicção, realização, guionismo e claro, produção.

O primeiro emprego de Fernanda surgia com apenas 14 anos, como figurante de espectáculos televisivos. Fernanda inscrevera-se em várias agências de figuração para conhecer mais de perto os meios com que as grandes produções televisivas eram feitas. O seu fascínio pelos bastidores começava aqui a dar os seus primeiros passos…

Fernanda começou por bater palmas em concursos e também a fazer figuração normal em telenovelas, séries e filmes, mas depressa a sua formação falou mais alto e a catapultou para figurante especial e mais tarde, para jovem actriz.

No seu curriculum profissional constam dezenas de participações em produções nacionais na qualidade de actriz, tendo trabalhado com alguns dos melhores realizadores e produtores da actualidade.

A faceta profissional de Fernanda como actriz, passava assim muito naturalmente a ser o seu modus vivendi. Para trás ficava o sonho de ser bailarina profissional, sonho esse interrompido por uma grave lesão no Tendão de Aquiles…

Apesar da carreira como actriz estar a correr de feição, Fernanda possuía uma sede de fazer sempre mais, facto que a levou a concorrer ao passatempo “Seja uma modelo” organizado pelo programa televisivo 86-60-86 apresentado por Sofia Aparício. O resultado final desse concurso levou Fernanda até à Central Models, agência onde iniciou o seu percurso como manequim profissional.

Publicidade e desfiles foram algumas das novas experiências que Fernanda abraçou de bom grado, mas na Central Models Fernanda participou ainda em diversos workshops de formação para castings, dados por Patrícia Vasconcelos Casting, de forma a ter maior sucesso quer no seu desempenho como actriz e manequim.

Fernanda dedicou-se a estas duas actividades (actriz e modelo/manequim) até ao ano de 1998.

Em 1998 antes de abandonar as “lides televisivas” Fernanda participou em várias produções como: “Médico de Família”, “Ballet Rose”, “TV Luzinha” (Nos chamados “Vídeos didácticos do Luzinha”, Fernanda era actriz, mas também apresentadora de televisão, deste programa infantil) e finalmente em “Diário de Maria”, o seu derradeiro trabalho…

O ritmo agitado das múltiplas gravações, juntamente com os estudos, e claro, a pressão de viver a vida de uma forma cada vez mais mediática, levaram Fernanda a decidir abandonar aquela que era sem dúvida alguma uma promissora carreira.

Na verdade tudo acontecera demasiado depressa. Em apenas 6 anos Fernanda passara de figurante a actriz, de menina a modelo e de criança a mulher, mulher essa que se apercebia que o protagonismo associado a uma vida artística, era algo que Fernanda não ambicionara e para o qual não estava preparada.

É nessa altura que Fernanda decide dedicar-se à escrita (escreveu um livro de poesia intitulado Porto Fado) e ao estabelecimento de novos contactos com vista à implementação de trabalho na área da produção.

A sua vontade?

Realizar os sonhos de quem queria ser artista!

Os seus objéctivos?

Sentir o prazer de ver Portugal a brilhar!

Em 2000 Fernanda abre o novo milénio com a criação da Danz Traxx Productions, onde juntamente com Rudi Steenhuissen (então administrador da Universal), iniciam o seu processo de produção executiva de artistas. Pelo caminho Fernanda vê grande parte das suas poesias transformadas em letras de canções e incluídas como banda sonora de genéricos de televisão, séries, novelas de sucesso e claro está, discos de variados artistas.

Tudo corre de feição e o mercado da música abre-se para Fernanda que após o regresso de Rudi para a Holanda, se vê forçada a levar o barco a bom porto, mas desta feita sozinha…

Management, gestão, produção e criação de imagem, eram apenas algumas das componentes da produção executiva de artistas que Fernanda fazia, mas também direcção vocal e produção musical em estúdio.

A sua cada vez maior experiência na área, levaram-na a trabalhar com alguns dos maiores nomes da música portuguesa, quer como autora, como produtora e ou manager.

Em 2004, surge a oportunidade de trabalhar na VM Música, uma editora discográfica e produtora de eventos independente. Lá Fernanda permanece durante 2 anos a executar funções de direcção de marketing e promoção, mas também de produção de eventos, nomeadamente concertos.

Milénio, Sandra Fidalgo, Vanessa, Luigi, Netinho, Luka, Margareth Menezes, Pitty, Zeca Pagodinho, Marcelo D2, são alguns dos artistas nacionais e internacionais ao serviço da VM Música e alvo do trabalho de Fernanda Brito.

Mas o grande passo em frente ainda estava para ar!

Em Janeiro de 2006, Fernanda decide abandonar a VM Música e criar a sua própria estrutura de Personal Management de Artistas e assim nasce o Fernanda Brito Management.

Sara Aleixo, Raquel Henriques, Jorge Corrula e Sónia Hermida, são os primeiros actores a embarcar com Fernanda nesta nova etapa profissional, mas depressa a estes nomes somam-se também o do apresentador de televisão Luís Filipe Borges (o homem da boina) e o de Mónica Sintra. Dois nomes de peso que vêm dar ainda mais força a um projecto que se pretendia vencedor. E finalmente, o caso de Ana Ferreira, uma menina que Fernanda Brito descobria num evento e que tinha o grande desejo de ser modelo e apresentadora de televisão e o sonho de facto aconteceu pela mão de Fernanda Brito, para quem talento e beleza, aliados a uma boa máquina de promoção, são ingredientes mais do que suficientes para o sucesso. Ana Ferreira é hoje apresentadora de televisão da TVI e modelo na Face Model’s.

Mas muitos outros nomes sonantes recorreram aos serviços de Fernanda Brito, alguns não identificados – por razões profissionais – outros casos assumidos, como Mafalda Teixeira e Pedro Carvalho ex protagonistas de Morangos com Açucar, ou Vanessa Martins e Angelo Rodrigues.

Mas muitos muitos outros, como Isabel Medina, Nilton, Suzana (Ex – Tentações) ou Merche Romero a quem Fernanda já fez a imagem para televisão.

Mas o Fernanda Brito Management não pretende de todo ser uma agência de actores/artistas e sim, um aliado importante na vida daqueles que trabalham na área artística e que possuem um agenciamento efectivo.

A verdade é que Fernanda Brito é sem dúvida alguma um nome de referência junto do panorama artístico português, tendo conquistado o seu lugar na área de Personal Management e Produção de Moda, onde tranquilamente vai trilhando o seu caminho, longe dos holofotes e dos flashes das máquinas fotográficas que em tempos a assustaram e fizeram desistir do seu sonho.

Para Fernanda, as estrelas são os artistas e não aqueles que os movem. Só assim o seu trabalho faz sentido e só assim

Fernanda Brito Management tem uma verdadeira razão de ser!